Mudanças, mudanças…

À esquerda, Dennian (vulgo Coréia); à direita, Salsicha, com o uniforme sagrado do programa!

À esquerda, Dennian, vulgo Coréia; à direita, Salsicha, com o uniforme sagrado do programa!

Pois é: mudanças sempre aparecem pra todos… e não ia ser diferente com a gente!

Continue lendo

Anúncios

### Zona Infinita 41 ###

Nessa edição a gente rola as músicas que já deveriam ter sido tocadas no nosso programa (e que foram ficando pra depois e depois e depois…). 

Se liga no playlist do programa: 

Smashing Pumpkins

 

 

 

1. The Smashing Pumpkins – The Beginning is the end is the beginning

 

 

 

Chris Cornell

 

 

 

 

2. Chris Cornell – Scream

AC/DC

 

 

 

 

 

 

 

3. AC/DC – Rock n’ Roll Train

 

 

queen-paul-rodgers-the-cosmos-rock1

 

 

 

 

 

4. Queen & Paul Rodgers – C-Lebrity

 

 

u2-no-line-on-the-horizon

 

 

 

 

 

 

5. U2 – No Line on the Horizon

6. U2 – Magnificent

 

 

the-killers-day-age

 

 

 

 

7. The Killers – Human

 

 

 

 

prodigy-invaders-must-die

 

 

 

 

8. The Prodigy – Omen

 

 

 

 

guns-chinese-democracy

 

 

 

9. Guns n’ Roses – Better

 

 

 

 

oasis-dig-out-our-soul

 

 

 

 

10. Oasis – The Shock of the Lightning

 

 

muse

 

 

 

 

 

11. Muse – Take a Bow

 

 

 

 

 

É só baixar, apertar o play e “vamo” pra Zona!!!

 

Obama, o Bárbaro?!?

 

Obama - O Bárbaro!

Obama - O Bárbaro!

Que a eleição de Barack Obama chamou a atenção do mundo todo e trouxe um sopro de mudança, a maioria concorda… agora, essa Obama Mania tá demais…   Tudo bem que o cara é pop, usou a internet como poucos para se eleger, faz questão de andar com o seu Blackberry e ainda curte quadrinhos, mas dessa vez estão indo longe demais.

A Devil’s Due vai lançar em junho dois gibis com o homem mais poderoso do mundo, vivendo realidades alternativas:

 

Drafted: 100 Days

Drafted: 100 Days

Drafted: 100 Days – basicamente, Obama, que nessa aventura é mudo, inspira os homens e mulheres do planeta quando a Terra é convocada por alienígenas para participar de uma guerra intergaláctica.  

 

Palin pagando de gostosa em Barack The Barbarian

Palin pagando de gostosa em Barack The Barbarian

Barack The Barbarian: Quest For The Treasure of  Stimuli – nessa realidade, Obama é um bárbaro que defende o Reino da Esperança. Pelas capas e pelos nomes de alguns personagens, não é só o cara que ganha uma versão alternativa nessa história: temos o Colin Powell, o casal Clinton e a Sarah Palin.

Concordo que Obama é infinitamente melhor que o Bush para governar os Estados Unidos, mas tratá-lo como um tipo de messias é perigoso… E se o plano econômico dele for um fiasco e o mundo se ferrar mais ainda?

 

Capa da edição original que traz o encontro do Amigão da Vizinhança com o "cara"

Capa da edição original que traz o encontro do Amigão da Vizinhança com o "cara"

Até aqui no Brasil se reflete essa tendência, já que a Panini lançou a edição em que o Homem-Aranha encontra o Obama na cerimônia de posse dele – nos Estados Unidos, esse material saiu 4 dias antes da posse, em janeiro, e estourou em vendas por lá. A editora, esperta, antecipou a publicação, já que normalmente rola um atraso de no mínimo 06 meses entre o original e a versão “brasileira”.

E você, o que acha da Obama Mania?

Rubão Hattori Hanzo

Inri Cristo – “No, No, No”

É o fim do mundo!

É o fim do mundo!

Caros zoneiros, isso é sensacional: o Inri Cristo e as suas inrizetes fizeram uma versão de “Rehab” da Amy Winehouse e colocaram o vídeo no You Tube, com direito a legendas em inglês – é só clicar no destaque para ver a pérola.

Vamo pra Zona!

Cd – 30 anos…

 

CD - O trintão que tá quase se aposentando?

CD - Tá como um ex-jogador de futebol em atividade?

Pois é, galera, o nosso querido e quase finado compact disc faz 30 anos neste mês.

Sou da época dos discos de vinil, os Long Play, com lado A e lado B (quem tem menos de 20 anos deve estar se perguntando o que é isso… kkk), e lembro bem do início do cd e o impacto que esse disquinho que é lido por laser provocou nas pessoas em geral. Foi uma febre e as gravadoras nadaram em dinheiro.

Hoje, aos 30 anos, o formato tá ultrapassado por causa do MP3 – a maioria prefere baixar as músicas do que comprar o novo cd da banda favorita e as gravadoras estão padecendo…

Será esse um caminho sem volta? Você se lembra qual foi o último cd que você comprou? Eu, pelo que me lembro, o último que eu comprei foi em 2005, Guero, do Beck – faz tempo… 

O último cd que comprei, em 2005

O último cd que comprei, em 2005

E para os artistas, como fica? Álbuns conceitos, como o “Sgt. Peppers Lonely Hearts Club Band”, dos Beatles, e o “The Dark Side of the Moon”, do Pink Floyd, vão pro limbo? Agora o negócio é voltar para os primórdios da música pop, quando se lançavam os compactos (os singles da época) e depois se amontoavam esses singles em um disco?

Não vamos ter mais discos "conceito" como esse?

Discos "conceito" como esse já eram?

Muita gente diz que o cd não vai morrer: vai ganhar um status diferente, como rola hoje com os discos de vinil, que se tornaram um ítem cool, moderno, o preferido dos top djs…

E você, o que acha que vai acontecer com o mais novo 3.0 do pedaço?

Rubão Hattori Hanzo

Tec Toy lança player de Blu-Ray nacional

DBR-700 - o player de Blu-Ray da Tec Toy

DBR-700 - o player de Blu-Ray da Tec Toy

Você que tá loucão pra comprar um aparelho de Blu-Ray, mas tá esperando abaixar o preço, tem uma novidade bacana: a Tec Toy lançou um aparelho nacional (ou seja, mais barato que os importados!), o DBR-700.

O player é compatível com tvs Full HD (1080p), via HDMI, tem áudio de 7.1 canais e garantia de 01 ano.
O preço que a Tec Toy sugere é R$1199,00, mas já é possível encontrar por até menos.

Santa confusão, Bátima!

Quem já andou fuçando sites especializados em quadrinhos, já tá cansado de saber, mas se esse não é o seu caso ainda (e deve odiar spoilers) então sugiro que nem continue a ler esse post…

Bom, 2009 é o ano em que o cruzado encapuzado de Gotham completa 70 anos e o normal seria a DC lançar dar uma atenção especial para o Homem-Morcego e lançar materiais dignos dessa data (ainda mais se considerarmos o sucesso estrondoso de “Batman – O Cavaleiro das Trevas” no cinema).

Pois bem, eis que a DC, através do loucão Grant Morrison, lança duas sagas que narram os últimos dias do herói – “R.I.P” e “Final Crisis”.

Não quero aqui criticar sem ler o material (realmente não li, mas vou comprar quando a Panini lançar) e descontando o talento inegável do Morrison, mas, cá entre nós, matar o personagem bem no ano de seu 70º aniversário é um tremendo golpe de marketing safado!

A editora poderia reunir os seus principais roteiristas e artistas para criar histórias bacanas, especiais, como tem sido feito com o Superman (e olha que o azulão não é o meu personagem preferido) sem apelar pra isso… é lógico que a DC vai trazer Bruce Wayne de volta e os leitores vão se sentir enganados mais uma vez, como aconteceu na Morte do Superman e nas 800 vezes em que a Jean Grey ressucitou na Marvel (para ser justo com a DC, que não é a única que mata e ressucita).

Outra pisada na bola da DC, para quem como eu acompanha a editora desde os anos 1980, é trazer de volta o conceito do Multiverso – porra, o principal mote de “Crise nas Infinitas Terras” era acabar justamente com a zona (sem trocadilhos) em que se encontrava o universo DC – depois da primeira “Crise”, veio materiais sensacionais, como o Superman de John Byrne, o Ano Um do Batman e a reformulação da Mulher-Maravilha feita pelo George Pérez – devemos desconsiderar todo esse material agora?
Já li e ouvi opiniões de fãs que acham que isso se deve ao sucesso da linha Ultimate da Marvel (que vai passar por uma bela reformulação, ou seja, nem tá com essa qualidade toda hoje em dia) e pode até ser, mas a DC já tem a Vertigo e os seus Elseworlds (Túnel do Tempo) que permitem maior liberdade artística com os personagens.

Bom, por ser Grant Morrison, vou comprar essas sagas e tentar entendê-las, mas que eu estou me sentindo um palhaço, isso eu estou…

Rubão Hattori Hanzo